Meditação diária de 28/06/2019 por Flávio Reti – Chizuo Matsumoto
28/06/2019
Meditação de Pôr do Sol 28/06/2019 por Edite Ostrovsky Teixeira
28/06/2019

Comentários da Lição 13 (2o Trim/2019) por Classe ECC

Comentário da Lição da Escola Sabatina – 2º Trimestre de 2019.

Lição 13 – Convertendo Corações no Tempo do Fim.

“Eis que Eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível Dia do Senhor; ele converterá o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos a seus pais, para que eu não venha e fira a Terra com maldição.” Ml 4:5 e 6

Chegamos ao final de mais um trimestre com uma lição que nos inspirou, como indivíduos e como famílias, a querer saber como nos preparar melhor para o breve encontro com o nosso Criador e certamente nos fez sentir mais perto do nosso Amigo e Salvador, Jesus.
Aprendemos desde a infância, conforme a visão da fé adventista, que o Senhor vai nos salvar como indivíduos e vai respeitar nosso livre arbítrio quanto às nossas escolhas; mas, agora aprendemos, se é que não tínhamos noção disso antes, que Deus quer salvar não somente a nós mesmos, como indivíduos (e Ele o quer), mas também
fará de tudo para salvar a nossa família.
Deus quer preparar famílias inteiras para ir para o Céu.
A lição desta semana nos mostra de forma prática que Deus deseja restaurar nossa relação com Ele e com os membros de nossa família, não importando o momento ou a fase que estejamos passando em nossa vida.
O ponto máximo deste estudo é que Deus tem poder para operar o milagre da transformação em nossa família mediante Sua graça maravilhosa e abundante à nossa disposição.
Quando Deus mandou Elias preparar o povo para uma reconciliação com Ele, fez isto em três momentos específicos:
O Primeiro: Deus exorta / adverte.
Através de Elias, o Seu mensageiro, Ele declarou o pecado do rei Acabe que fez o que era mau aos olhos de Deus e fez pior do que seus antepassados; declarou também o pecado da rainha Jezabel que introduziu um culto blasfemo no lugar da adoração ao Deus Criador, (o que acelerou o declínio espiritual do povo, levando às terríveis depravações como indivíduos e como nação); e, finalmente, declarou o pecado do povo em trocar o Deus verdadeiro por um deus inerte – Baal, o que, aliás, se configurava num grave pecado perante o Deus de Israel.
O Segundo: Deus disciplina / castiga (àqueles que Ele ama)
A falta de chuva se traduziu numa grande maldição para um povo que dependia da agricultura para a sobrevivência e prosperidade da nação. Isto causou um grande impacto no povo que começou a repensar suas atitudes, escolhas e as consequências de se afastar de Senhor, começando então a dar importância às palavras do profeta.
O Terceiro: Deus mostra o Seu poder.
Esse foi precisamente o momento do confronto entre o Deus verdadeiro e o deus falso. Neste momento a nação teve que tomar a decisão de escolher definitivamente entre fazer ou não um pacto de restauração do seu relacionamento com Deus.
Diante da disposição de retornarem ao Senhor, Ele os abraçou como filhos amados, os restaurou, curou sua terra, curou suas feridas espirituais e houve um grande milagre de restauração nas famílias de Israel.

Quando foi dada a profecia de que Elias viria preparar o caminho para um evento extraordinário no contexto espiritual do povo judeu para uma nova restauração da aliança com Deus, se pensava que o próprio Elias desceria do Céu. Elias não morreu, ele foi transladado para o céu em um carro de fogo e não conheceu a morte, lembra?
Segundo essa crença, ele convenceria o povo de que um novo arrependimento seria necessário.
Mas, o próprio Jesus disse que este acontecimento se deu na pregação de João Batista, a “voz do deserto”, que apregoava arrependimento e conversão, sendo ele o “Elias” prometido, no mesmo espírito e propósito, preparando o caminho para a mensagem do Messias. Mais uma vez, Deus estava chamando famílias espirituais a se unirem em aliança irrevogável com seu Criador para serem transformadas pelo poder do Espírito e fazerem parte da família celestial.
No altar do Carmelo as famílias fizeram um novo conserto com Deus.
Na Cruz do Calvário as famílias novamente fizeram um conserto com Deus.
E agora nós, a nossa geração, tem a responsabilidade de mostrar, através de famílias bem ordenadas e fiéis, o plano da divino da salvação para todas as famílias da terra.
O apelo é que façamos, primeiramente no altar de nossa casa, um novo conserto com Deus para salvar a nossa família, curar nossos relacionamentos rompidos, curar nossas feridas (causadas pelas mágoas familiares), e então poder levar a cura espiritual para outras famílias que necessitem da graça e do milagre da transformação, a fim de
também serem famílias do Céu, vivendo, por enquanto, ainda aqui na terra.
Wagner Tonini é casado com Florisbela S. Tonini, pai de duas filhas, professor da classe dos amigos (sala 59) da Escola Sabatina do UNASP-HT.

Os comentários estão encerrados.