Meditação de Pôr do Sol de 08/05/2015 por Belise Mara Cunha
06/05/2015
Meditação de Pôr do Sol de 15/05/2015 por Mirian Montanari Grüdtner
12/05/2015

Comentários da Lição 7 (2ºTri/2015)

COMENTÁRIOS DA LIÇÃO DA ESCOLA SABATINA – 2º Trimestre de 2015

Por Wellington Romangnoli

 

Lição 7 – JESUS, O ESPÍRITO SANTO E A ORAÇÃO

 

Sábado à tarde

Há tantas promessas de bênçãos e vitórias na Palavra de Deus! O espírito de profecia também nos anima com tantas promessas de uma vida cristã vibrante, genuína e crescente. Com tantas garantias de que Deus quer o nosso bem e está sempre disposto a nos atender com as mais preciosas bênçãos, devemos nos perguntar: “Por que não estamos experimentando tais bênçãos”?

A resposta também se encontra na Bíblia e no espírito de profecia: Nós não pedimos, não buscamos e não batemos. Deus está ansioso para nos conceder os mais maravilhosos dons espirituais mas nós não estamos tão ansiosos para receber esses presentes celestiais.

Jesus é nosso modelo em tudo, inclusive na Sua vida de dependência do Pai e do Espírito Santo. Ele também é nosso modelo na vida de oração. Vamos estudar a lição dessa semana com um desejo de imitar Jesus na nossa vida devocional?

 

Domingo – Jesus e o Espírito Santo

Toda a Divindade está atuando em nossa redenção. Assim como o Pai, o Filho e o Espírito estavam atuando no princípio, na criação, Eles também atuaram juntos durante a primeira vinda de Jesus e continuam atuando para finalizar o plano da salvação.

Lucas foi testemunha ocular da atuação do Espírito Santo sobre a igreja. Ele escreveu o livro de Atos dos Apóstolos (que bem poderia se chamar Atos do Espírito), relatando os poderosos feitos do Espírito. Depois, ao escrever seu evangelho, descreveu como o Espírito Santo foi fundamental no ministério de Jesus. Desde a concepção sobrenatural o Espírito esteve presente no ministério de Cristo. Por ocasião de Seu batismo, Jesus recebeu o Espírito e daí em diante foi “cheio do Espírito Santo”(Lucas 4: 1).

O Espírito ainda é essencial para nosso “novo nascimento”. Ele ainda é essencial para a nossa vida e a nossa missão.

 

Segunda – A vida de oração de Jesus

Jesus foi um homem de oração. Os evangelhos registram que Ele orava muito. Algumas dessas orações impressionaram fortemente os discípulos a ponto deles pedirem a Jesus que os ensinasse a orar. Até os anjos se impressionavam com as orações do Salvador. Após Seu batismo, Ele elevou uma oração ao céu. Ellen White diz que “os anjos nunca tinham ouvido uma oração como aquela”.

Ele orava em toda e qualquer situação. Ele passava noites inteiras em oração. Eis a fonte de Seu poder, coragem, discernimento, fé inabalável, vitória.

Sabemos que a “oração é a respiração da alma”. Nossa vida física depende da respiração constante. Assim também nossa vida espiritual depende da oração constante.

Senhor, ensina-nos a orar!!!!

 

Terça – A oração modelo – parte 1

Certa vez os discípulos flagraram Jesus em oração. Ele não percebeu e continuou a orar em voz alta. Ellen White diz que os discípulos presenciaram um brilho no rosto de Cristo, sentiram a presença de Deus e se impressionaram com o poder das palavras daquela oração. Quando Jesus terminou, os discípulos Lhe pediram que os ensinasse a orar.

A oração modelo tem muitas coisas a nos ensinar. Recomendo a leitura do livro O Maior Discurso de Cristo, especialmente o capítulo que trata da oração que Jesus ensinou. Há muitas coisas envolvidas em orar ao nosso Pai, santificar Seu nome, desejar o Seu reino e cumprir Sua vontade.

Como os discípulos, devemos humildemente clamar ao Senhor: “Ensina-nos a orar”.

 

Quarta – A oração modelo – parte 2

A segunda parte da oração que Jesus ensinou envolve nossas necessidades físicas e espirituais. O pão diário é uma dádiva do Pai. Tanto o pão físico quanto o pão espiritual. O perdão que desejamos receber deve nos impulsionar a perdoar nossos semelhantes. O pedido de vitória sobre a tentação e livramento do mal deve nos levar para longe da fonte da tentação.

Jesus prometeu que se persistirmos em oração, confiantes na sabedoria, amor e poder de Deus, podemos estar certos de que seremos recompensados. “Deus é sábio demais para errar, e bondoso demais para negar qualquer coisa boa a Seus santos, que andam na retidão (Testemunhos para a Igreja, v. 1, p. 120,121).

 

Quinta – Mais lições sobre a oração

Cristo usou parábolas para nos ensinar a necessidade da oração persistente. Tal persistência não faz Deus mudar de opinião mas pode nos dar tempo de pensar e avaliar se aquilo que pedimos é realmente o melhor. Jesus queria nos ensinar que orar é mais do que cumprir uma rotina, é ter um relacionamento pessoal com Deus. Orar é conversar com nosso Pai celestial. Deve ser algo natural para o cristão.

A parábola do fariseu e do publicano encerra preciosas lições. Alguns podem se identificar com o fariseu da parábola (cheio de justiça própria, orgulho e desprezo pelo semelhante); outros podem se identificar com o publicano (cheio de pecados mas sinceramente arrependido). Talvez todos nós tenhamos um pouco de cada personagem.

A grande virtude do publicano foi se comparar a Deus e não aos semelhantes. Sempre que nos comparamos com Jesus, ficamos conscientes de nossa grande necessidade.

Senhor, tem misericórdia de nós, pecadores.

 

Sexta – Estudo adicional

A oração é o simples ato de conversar com Deus, o Criador do Universo. Pode ser em voz alta ou em pensamento, em momentos especiais ou comuns, durante as atividades diárias ou antes de dormir. Como Seus filhos, temos o privilégio de usufruir da conexão direta com o Pai. Nessa ligação, não há mensagem de correio de voz, nem chamada em espera.

Alguns podem ver a oração como um monólogo, ou pior ainda, uma conversa conosco mesmos. Estudos, porém, têm mostrado que ela não somente melhora a nossa qualidade de vida, mas realmente tem o poder de curar. Cientistas dizem que as interações com Deus através da oração nos dão a capacidade de administrar melhor nossas emoções negativas e reduzir a nossa agressividade para com os outros.

Mas os Adventistas do Sétimo Dia não oram apenas por sua saúde e pelo seu bem estar. Segundo a escritora Ellen White, “A oração é o abrir do coração a Deus como a um amigo.”

É o que alimenta e desenvolve a nossa relação com Ele, e quando tomamos tempo para falar diretamente com Deus, descobrimos que Ele toma tempo para nos responder e transformar nossa vida com Seu amor. (http://www.adventist.org/pt/espiritualidade/oracao/)

Os comentários estão encerrados.