Culto de Oração
07/09/2021
Feliz Sábado
10/09/2021

Comentário da Lição 11

Ansiando por mais

“Ora, estas coisas se tornaram exemplos para nós, a fim de que não cobicemos as coisas más, como eles cobiçaram” 1 Co 10:6

A bíblia está repleta de referenciais espirituais e a história da peregrinação do povo de Israel carrega uma valiosa carga atemporal de sentidos para o povo de Deus, através dos tempos.

De fato, na experiência de libertação e salvação de Israel vemos um modelo de nossa própria história, da libertação e da salvação.

Pois assim como Deus libertou Israel da escravidão no Êgito, Ele também nos liberta da escravidão desta terra. Assim como prometeu à Israel uma terra que mana leite e mel, onde reinaria a paz, também para nós é prometido um país celestial, lugar de justiça e paz. E assim como o santuário terrestre abrigava o ritual de perdão dos pecados pelo sangue dos sacrifícios realizados, assim também o santuário celestial abriga a ação perdoara, pelo ministério do Cordeiro de Deus, tendo derramado seu sangue por nós. No entanto, se a história de Israel nos serve como paradigma da sublime ação libertadora e salvadora de Deus, também nos serve como exemplo da infame ação do povo, que após atravessar o mar à seco, murmurou em Meribá, aos muros da terra prometida não teve fé para conquistar, diante da clara lei de Deus, se confundiu e se corrompeu, livre para tomar do maná dos céus, deseja o pão da escravidão no Egito.

A verdade subjacente a esta relação que temos com o povo de Israel é que nos mesmos erros que estes incorreram nós estamos sujeitos a cair.

E este é nosso grande desafio, nossa tremenda oportunidade, e nossa real responsabilidade. Desafio, porque cabe ao Israel de hoje vencer as batalhas diárias para chegar em Canaã celestial, em um cenário de combate espiritual cada vez mais acirrado. No entanto, temos uma oportunidade, pois podemos contemplar os erros da vida de Israel no passado e fazer as correções em nossa vida no presente. E responsabilidade, pois diante do solene momento em que vivemos, a missão está em nossas mãos.

Nesse contexto, nenhum alerta soa tão apropriado quanto Salmo 95, versículos 7-10:

“Hoje, se ouvirdes a Sua voz, não endureçais o coração, como em Meribá, como no dia de Massá, no deserto, quando vossos pais Me tentaram, pondo-Me à prova, não obstante terem visto as Minhas obras. Durante quarenta anos, estive desgostado com essa geração e disse: é povo de coração transviado, não conhece os Meus caminhos”

Que o Senhor nos ajude encontrar o descanso com a experiência de Israel.

Wagner Teoro

Ancião da Igreja UNASP-HT

Os comentários estão encerrados.